domingo, 19 de fevereiro de 2017

Loony Quest

Bacaninha demais esse aqui que já ganhou versão nacional pela Galápagos. É muito simples e muito legal, é um board game com essência de videogame.



Há uma "tela" com um desafio no centro da mesa. Em algumas situações é preciso pegar as estrelas sem esbarrar nas paredes e em outras é preciso ativar bombas para matar os inimigos. Como você resolve os desafios? Usando uma canetinha e seu senso de referência. É isso mesmo. É preciso fazer tudo em um acetato usando uma canetinha e depois, ao final da rodada, colocar a folha transparente em cima da tela e ver se você acertou o desafio.



O game já tem uma versão mobile bem bacana. Dá uma olhada na resenha do canal do Tom Vasel a seguir para entender melhor a mecânica:




Mais um excelente exemplo para as aulas de game design.

#GoGamers

domingo, 12 de fevereiro de 2017

LANÇAMENTO (finalmente) DO HÚSZ! O novo game do autor deste humilde blog

Quem acompanha o blog deve ter lido a respeito deste game. Demorou, mas saiu! O HÚSZ, meu novo game abstrato, está pronto! Ready! Listo! Pripravený!

Ele é parte integrante de um projeto pessoal de 6 games, cada um criado com um dado clássico do RPG (D4, D6, D8, D10, D12 e D20). O HÚSZ chega para completar a família junto com o YN, o PYRAMYZ, o OKTO, o TÍZ e o DOMINAEDRO.



O jogo, para 2 players, tem uma mecânica de domínio de área muito simples: um jogador rola três D20s e deve escolher dois resultados para colocar suas peças no board. Os números estão dispostos ao redor dos "cantos" do tabuleiro. Ao fechar uma linha, os pontos de cada jogador são contabilizados e quem marcar mais, ganha o jogo. O número 20 é o grande coringa do game (HÚSZ em húngaro é o número 20) e esse resultado permite que um dado seja colocado em qualquer canto. Resumidamente é isso! Mas se você quiser ler o manual de regras completo e fazer um print and play, CLIQUE AQUI. O Studio Teia de Jogos fez uma parceria comigo para distribuir a prévia do HÚSZ!

A caixa, tabuleiro e discos de dupla face do game foram produzidos pela Ludens Spirit, a arte ficou a cargo do amigo Rodrigo Cotelessa e o processo de publicação foi feito pelo amigo Estevão Puggina e por mim. Aliás, o HÚSZ vem assinado pelos selos Lemonpie (do Estevão) e Abysstrakt (meu). Não é por nada não, mas está bem caprichado!



As caixas estão comigo e já estão prontinhas para serem despachadas. Interessou? Quer comprar? O preço é de R$ 100,00 + despesas de correio. Mande um email para vincevader@gmail para instruções de pagamento.



Mais um! O fim da hexalogia de jogos de dados!

Esse ano promete!

Que venham mais!

#GoGamers

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Dobble

Party game que lembra o Ghost Blitz. Jogadores abrem cartas com diferentes elementos gráficos. Aquele que achar um elemento de sua carta igual na carta de outro jogador marca o ponto.



É bobinho, mas bem divertido. Dá uns nós bacanas no cérebro porque as cartas tem elementos de tamanhos diferentes. Mais um bom exemplo para usar na aula de game design casual.

 #GoGamers

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Dicez

É muito legal ver que os boardgames estão ampliando seus rizomas na rede urbana de São Paulo. Além das luderias, estamos vendo outras opções menores nas quais podemos comer algo gostoso, tomar uma gelada e jogar.



Essa semana fui até a Dice Z, lanchonete com comida muito gostosa, cerveja artesanal de qualidade e uma estante com alguns bons boardgames.

O foco não é o boardgame, mas eles estão lá para complementar a experiência. Em muitos lugares da Europa é bastante comum esse hábito de deixar alguns games para os clientes. Agora estamos vendo isso por aqui também.

Grata surpresa da semana. Jogamos Dixit por lá. Recomendadíssimo o hambúrguer carimbó com batata do reino e cerveja IPA.

Para quem quiser conhecer, clique aqui ou veja o endereço a seguir


#GoGamers

domingo, 29 de janeiro de 2017

CODENAMES PICTURES

Em abril do ano passado fiz uma resenha acalorada (com direito a vídeo) sobre o CODENAMES, jogaço do tcheco Vlaada Chvátil (sou fã do cara). Esta semana chegou pra mim o CODENAMES PICTURES: mesma regra de adivinhar padrões, mas - agora - com imagens. Divertidíssimo e, na minha opinião, mais difícil que o original.



Um detalhe importante: as figuras não são óbvias. Elas possuem misturas interessantes de elementos. Dá uma olhada no exemplo a seguir: o fusca não é apenas um fusquinha, é um carro inseto; o canguru é uma espécie de "cangurussauro". Ou seja, cada cartinha - além do elemento óbvio - permite uma série de outras interpretações e correlações. Já tinha gente jogando a regra do CODENAMES com as cartas do DIXIT, mas estas aqui são mais focadas no esquema do jogo.



No final do manual há a sugestão para misturar o jogo original com esse, criando novas modalidades para o game. Bem bacana mesmo. Mais uma bela aquisição para a ludoteca.

#GoGamers

domingo, 22 de janeiro de 2017

Jaipur

Esse game passou por minhas mãos algumas vezes na Gém Klub, mas acabei não adquirindo. Foi um erro, pois o game é bem legal. Jaipur é um jogo muito rápido para dois jogadores que tem como tema um mercado árabe. Joguei na primeira visita que fiz à Encounter luderia.



Jaipur tem uma mecânica bem simples de troca de cartas. Na mesa há sempre 5 cartas disponíveis para o comércio. Você precisa gerenciar as cartas de mercadorias qe possui na mão e trocando para fazer combos. Quantos mais cartas iguais de uma vez, mais pontos.



Tem umas sacadas legais como a jogada de acumular camelos (que funcionam como coringas), pontuação estilo euro baseada em acúmulo de cartas iguais e uma velocidade excelente (joga-se melhor de três tamanha rapidez de uma partida).

Bem legal para dois players.

#GoGamers

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Patchwork

Oooooooopa! Esse aqui é um post especial. Primeiro porque este é um jogo bem foda para dois players do Uwe Rosenberg e segundo porque o grande amigo Parma lançou a versão em português do game por meio de seu selo Ludofy!



Produção caprichada ao extremo. Tudo bem cuidado nos detalhes. Patchwork é um game sobre montar uma colcha de retalhos. Em essência é um excelente abstrato com uma camada temática muito bem aplicada.



Os dois jogadores vão comprando pedaços de tecido e tentando montar um "tetris" em tabuleiros individuais. Ao final, espaço não ocupado gera ponto negativo. Botões são a moeda de troca para as peças e pontos positivos ao final do games. Tem uma pecinha de um quadrado que é bem manhosa e resolve muitos problemas de preenchimento.

Adorei! Sucesso e parabéns pro Parma pela iniciativa!

 #GoGamers